Galeria


Caminhada Viver de São Paulin a Cachoeira do Pedregulho


O ponto de partida foi a pequena localidade de São Paulim ou São Paulinho, nas costas da Pedra Azul. Quem saiu de Vitória, que mesmo de madrugada anunciava um belo dia de sol, não podia imaginar o paradoxo que teria pela frente. A chegada a São Paulim, foi um choque, com temperatura muito baixa, uma fina garoa, e neblina que escondia a famosa Pedra Azul.


Quem já se acostumou com o alegre burburinho que marca os preparativos para inicio de uma caminhada teve a impressão de que iríamos caminhar em outro estado, pois os agasalhos de cores diversas escondiam o tradicional verde de nossas camisas


Mas como só o calor humano tão presente nas caminhadas, não é suficiente para aquecer o corpo para encarar uma caminhada de 20 km, os andarilhos passaram por uma bateria de exercícios específicos para este fim. Na hora das fotos, todos estavam com novo ânimo para começar bem a jornada em direção a Pedregulho.


Logo que se acostuma com o vento sul, frio e constante, acompanhado pela garoa intermitente a confiança dos andarilhos aumentava na medida em que avançavam, pelas terras úmidas. A marca registrada neste trecho é o carinho com que os agricultores cultivam suas terras e recebem seus visitantes,. Isto era notório em todas as pessoas que encontramos.


A alternância das culturas de hortaliças e café com resquícios da mata nativa é uma constante ao longo de todo caminho formando belas paisagens e pano de fundo para inúmeras fotos. Se a chuva e neblina amenizaram as agruras do caminho, esconderam nosso anfitrião o Forno Grande, que em dias ensolarados é um belo cartão postal.


Com pontos de apoio em locais estratégicos os andarilhos, mesmo os novatos, seguiam com passos firmes em direção a Cachoeira. Antes de descer a serra em direção a localidade de Pedregulho, os andarilhos puderam apreciar um monumento pouco divulgado e de rara beleza, que é a Pedra da Balança, entre as comunidades do Centro e Corumbá.


É uma formação rochosa com peso estimado de 60 toneladas e fica apoiada por uma pequena rocha. Vista de frente, parece desafiar a lei da gravidade. Para quem não foi, é uma Pedra da Cebola com a forma de uma vela de embarcação.


Após a descida o destaque do caminho fica por conta da Igrejinha de Pedregulho, cuja torre se sobressai entre casas simples e lavouras bem cuidadas. Daí em diante, basta mais uma subida de 1,5 km para se chegar ao destino, que todos cumpriam com animação, simpatia e determinação.


A cachoeira se localiza no Sitio Furlan que é um parque com serviço de restaurante, bar, camping e uma área gramada para lazer em torno da cachoeira. O tempo frio impediu o banho nas águas que despencam de uma altura de mais de cem metros. Quer dizer, pelo menos os nossos intrépidos limpa trilhas Simonne, e Glauco, que para honrar a fama de Sereios, nadaram no poço e tomaram um senhor banho na bica.


O almoço transcorreu num clima tranquilo , animado pelo "parabéns pra você" em homenagem a aniversariante do dia, a Simonne. Com a ameaça de mais chuva, o grupo apressou o retorno, desta vez por Fruteira para escapar dos atoleiros, o maior inimigo das Vans.


Para encerrar, quero registrar a presença de grande número de médicos cooperados da Unimed, nossa parceira e incentivadora e agradecer aos veteranos e novatos pela amável companhia, que com seu calor humano transformou um domingo frio e cinzento num dia ensolarado.


Grande abraço a todos e até Burarama, nos dias 26 e 27 de Junho.