Galeria


Viver Andarilhos ao Vale do Batatal


A caminhada “Viver Vale do Batatal”, é uma das mais tranquilas de nosso portfólio, pois nos 18 Km temos uma amostra de vários tipos de terreno, com matas, sombra, água, flores, bananeiras e menos a tal da batata, que batiza o Vale.


E como caminhar também é cultura, vou iniciar a nossa narrativa com algumas curiosidades sobre a nossa grande ausente.


A batata é uma andarilha como nós, pois sendo originária da América do Sul, caminhou para a Europa e de lá ganhou o mundo.


Os Incas, há mais de mil anos já cultivavam e a consumiam em larga escala.

Com a descoberta da América, os espanhóis levaram daqui, não só o ouro e a prata em suas caravelas, mas também a nossa andarilha, que caminhou junto.


Da Espanha para o resto da Europa foi questão de tempo, pois o seu cultivo simples , seu sabor, sua energia e sua facilidade de combinar com outros pratos agradou a todos e contribuiu para sua rápida disseminação.


Em cada lugar onde aportava, foi sendo rebatizada pelo povos com nomes como Tartufo Blanco, Papa, White Potato e Kartoffeln.


Pois é, a nossa andarilha agradou tanto que Frederico Guilherme, Rei da Prússia, condenava a severas penas os camponeses que não plantassem a batata. Luis XVI, Rei francês, decorava os jardins de Paris com imensas plantações de batata.


A apoteose veio com Van Gogh, famoso pintor holandês, que retratou a nossa personagem numa de suas obras mais famosas, onde uma dupla de camponeses colhem a batata na plantação.


Bem homenagem feita, vamos ao caminho.


Esta caminhada tem a característica de num trajeto bem curto, passamos por três municípios, que são Guarapari, Marechal Floriano e Alfredo Chaves


Começamos em Todos os Santos, um lugarejo onde o destaque é a sua igreja, centenária e muito bem conservada construída no alto de um platô.


Neste ano, incluímos o café da manhã no valor das inscrições, que foi servido na Mercearia Brushi & Marchezi,o estabelecimento da Dona Chica, onde também foi montado o Escritório Itinerante para conferência de inscrições e distribuição das camisas Viver Unimed Andarilhos.


A preleção e o aquecimento foram na escadaria da centenária Igreja de Todos os Santos.


Confesso que senti uma emoção muito forte, pois este mesmo local certamente já abrigou grandes oradores no árduo trabalho da disseminação da fé católica nestas terras.


Dada a largada, logo de cara temos um trecho em subida, leve e tranquila, percorrendo matas e belas propriedades e com vários quilômetros de “ beijos”, flores pequeninas e de vários matizes que vão do vermelho, passando pelo rosa até chegar ao branco.


Com tanta flor e plantações, começamos a sentir falta das batatas...


O "abre alas" demarcou as bifurcações com as setas de farinha, garantia de estarmos no caminho certo.


O primeiro apoio, já numa baixada estava a 5 km com frutas fresquinhas e e água. Esta, por sinal, foi racionada em virtude do incidente da quebra de qutro galões que trouxemos. Ainda bem que a temperatura estava agradável e todos estavam cientes deste problema economizaram ao máximo.


A partir do trevo de Alfredo Chaves a caminhada passa a ter status de passeio no shopping, em virtude do terreno em declive e acompanhando o curso do rio. com muitas flores e frutas e o agradável som das águas. Alguém aí viu as batatas? A única referência a elas, era um ônibus com a placa Batatal.


A porção final do caminho é emoldurada por imensos Bananais, isso mesmo, não troquei o T pelo N, era banana mesmo.


O Vale do Batatal é um local simples mas de uma beleza incomparável, onde o rio encachoeirado, a bica para o banho, a mata e a montanha ao fundo, aliado ao carinho do casal Saulo e Siana fazem a diferença.


O churrasco planejado nos mínimos detalhes, ao longo da semana foi comandado por Roberto e Abmael, que por algumas horas deixaram a pilotagem das Vans para assumir a churrasqueira.


A sobremesa veio na forma de um grande bolo de aniversário de nosso amigo Nilton Damasceno e proporcionando mais alegria aos 50 andarilhos que nos acompanharam nesta jornada.


E para terminar, vou falar novamente da batata, nossa grande ausente fazendo uma analogia simples com a receita utilizada para fazer este caminho.


A receita de vários preparados com batatas que fazem tanto sucesso , tem em comum algumas etapas de uma caminhada.


Tudo começa na escolha das batatas, que no nosso caso foi se cercar de pessoas comprometidas para nos auxiliar em todas as etapas.


A seguir vem o preparo, que pode ser a remoção da casca e que foi avaliação e escolha final do trecho, com os acertos para o churrasco e café da manhã e localização estratégica dos pontos de apoio.


Após tudo isto, levar ao fogo para cozinhar.


Esta etapa equivale ao desenvolvimento, o apoio,e o ETC. Os temperos em nosso caso são muitos, mas com certeza não podem faltar a humildade, boa vontade, desprendimento, amor ao próximo e não querer nada em troca, a não ser o prazer de desfrutar de mais um domingo repleto de emoções cercado de pessoas queridas como são os andarilhos. Isto é Viver!!!!


Bom apetite, pessoal."